A formação intercultural de educadores indígenas no Brasil

Autores/as

  • Neimar Machado de Sousa Faculdade Intercultural Indígena ( FAIND/UFGD).
  • Teodora de Sousa Município de Dourados,.
  • Alfa Oumar Diallo Faculdade Direito e Relações Internacionais/FADIR/UFGD.

Palabras clave:

Brasil, Formação de Professores Indígenas, Interculturalidade, Movimento Indígena

Resumen

O artigo contextualizará historicamente as ações do movimento indígena no âmbito da violação de direitos perpetrada pelo Estado brasileiro ao não reconhecer as contribuições dos povos indígenas na constituição da sociedade brasileira e não respeitar seus direitos fundamentais, incluindo o direito à educação e os meios de sua efetivação como, por exemplo, a formação inicial e continuada de professores indígenas em nível superior, prevista na constituição de 1988 e legislação subsequente, além do direito ao território. A análise funda-se empiricamente sobre duas experiências para formação inicial de professores indígenas, o Núcleo Insikiran e a Faculdade Intercultural Indígena,vistas contextualmente no âmbito das políticas públicas para os povos indígenas em nível superior, como também, as tentativas administrativas do governo brasileiro em extinguir estes direitos conquistados pelos povos indígenas como, por exemplo a PEC do Teto dos Gastos, a reestruturação da FUNAI pela bancada ruralista no Congresso Nacional Brasileiro, o resultado das eleições majoritárias ocorridas no país no ano de 2018 e os primeiros atos administrativos do novo governo.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

Candau, V.M. (2011). Diferenças Culturais e Educação: construindo caminhos. 1ª. ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, v. 1. 214p.

Carvalho, F., & Carvalho, F.A. (2008). “A Experiência de Formação de Professores Indígenas do Núcleo Insikiran da Universidade Federal de Roraima”. In: Mato, Daniel (coord.) Diversidad Cultural e interculturalidad em educacíon superior. Experiencias em America Latina y el Caribe (IESALC). Caracas: Instituto Internacional de la UNESCO para laEducación Superior en América Latina y el Caribe (UNESCO-IESALC), pp. 157-166.

Deparis, S. (2007). União das Nações indígenas (UNI): Contribuição ao Movimento Indígena no Brasil (1980-1988). Dissertação de Mestrado. UFGD: Dourados.

FAIND (2012). Projeto Pedagógico da Licenciatura Intercultural Indígena Teko Arandu. UFGD: Dourados.

Grillo, M. (2018). Bolsonaro confirma intenção de rever reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima. Rio de Janeiro: O Globo, 2018. Disponível em https://glo.bo/2PJU4sX Acesso em 17/12/2018.

IBGE. Censo Demográfico. 2010.

NÚCLEO INSIKIRAN (2002). Projeto Pedagógico do Núcleo Insikiran. UFRR: Boa Vista.

Prezia, B. (2017) História da Resistência Indígena: 500 anos de luta. São Paulo: Expressão Popular.

Descargas

Publicado

2020-11-04

Cómo citar

Machado de Sousa, N., de Sousa, T., & Diallo, A. O. (2020). A formação intercultural de educadores indígenas no Brasil. Ñemitỹrã, 2(1), 11–24. Recuperado a partir de https://revistascientificas.una.py/index.php/nemityra/article/view/1603